Fotografia

Indice Fotografia (Alfabetico)


Indice Fotografia (Cronologico)

  • Canon EOS: tutoriais Alguns tutoriais interessantes para os modelos EOS da Canon:Canon EOS 101: www.learn.usa.canon.com/galleries/galleries/tutorials/eos101_cll.shtmlRevista independente EOS: www.eos-magazine.com ...
    Publicado a 11/11/2018, 08:35 por Luis Pitta -org-
  • As primerias fotografias portuguesas (séc. XIX) Apresentamos as primeiras fotografias portuguesas de sempreQuando a nova invenção chegou a Portugal, a sociedade oitocentista recebeu-a com curiosidade e entusiasmo. As primeiras imagens alguma vez tiradas mostram ...
    Publicado a 01/06/2018, 12:14 por Luis Pitta -org-
  • Composição regras herdadas da pintura Elementos utilizados na pintura:compositionstudy.com
    Publicado a 14/12/2017, 09:41 por Luis Pitta -org-
  • f/stop: Explicação matemática - Escala - Como memorizar Explicação matemática do f/stop: en.wikipedia.org/wiki/F-numberProgressão geométrica de razão raiz de 2:f/1 = {\displaystyle {f/}({\sqrt {2}})^{0}}f/1.4 = {\displaystyle {f ...
    Publicado a 14/03/2018, 08:27 por Luis Pitta -org-
  • Composição Fotográfica Conceitos de Composição Fotográfica1. Composição Monotone e de ContrasteQuando dizemos que a fotografia está composta em monotone, estamos afirmando que há uma predominância do mesmo tom em toda ...
    Publicado a 24/11/2017, 03:23 por Luis Pitta -org-
  • Apps que nos ajudam a fotografar melhor Apps (Android) que nos ajudam a fotografar melhor:GuruShots: https://play.google.com/store/apps/details?id=com.gurushots.appCanon Guia: https://play.google.com/store/apps/details?id ...
    Publicado a 07/11/2017, 10:22 por Luis Pitta -org-
  • Histograma O Histograma de uma fotografia[BR] Analise de histograma:www.dicasdefotografia.com.br/como-interpretar-um-histograma/[BR] Explicação dos 3 tipos de Histograma:www.cameraneon.com/tecnicas/histograma/
    Publicado a 03/11/2017, 03:22 por Luis Pitta -org-
  • Velocidade de obturação A velocidade de obturação mede-se em 1/seg.As cameras fotográficas clássicas apresentavam uma escala simples (coluna 1), no entanto com a eletronica as camaras digitais conseguem fazer valores ...
    Publicado a 26/11/2017, 04:25 por Luis Pitta -org-
  • DoF: Depth Of Field [EN] DoF: Depth of Field[PT] PdC: Profundidade de CampoUm bom exemplo de uma DOF seletiva com três planos de focagem bem definidosPrimeiro plano desfocado, segundo plano focado ...
    Publicado a 06/12/2017, 02:18 por Luis Pitta -org-
  • Ficheiros RAW: O que são? ficheiro RAW é um dos formatos de imagem que mais cria discussão e alguma confusão na fotografia.Há quem diga que é uma perda de tempo fotografar em RAW ...
    Publicado a 19/11/2018, 14:07 por Luis Pitta -org-
  • Photography Cheat Sheets
    Publicado a 20/10/2016, 15:30 por Luis Pitta -org-
  • Travelling Cars Young Swiss photographer Kim Leuenberger did the series “Traveling Cars Adventures” in which she plays setting scenes with little cars and tiny old vans in the city or nature. Her ...
    Publicado a 09/10/2016, 12:55 por Luis Pitta -org-
  • + sites de fotografia Critica e análise da maquinas fotográficas (EN): www.dpreview.comO fotografo Joe Macnally: portfolio.joemcnally.comConcorre e ganha: www.gurushots.comPhoto.net: A community of photographersThis ...
    Publicado a 11/11/2018, 08:50 por Luis Pitta -org-
  • 52 projetos fotográficos 52 projetos fotográficos. 52 ideias para pôr em pratica.Um projeto por semana. Um ano de projetos!Visitar:www.digitalcameraworld.com/2015/01/06/52-photography-projects-a-photo-idea ...
    Publicado a 18/10/2017, 01:34 por Luis Pitta -org-
  • Relação Velocidade, Abertura e Sensibilidade Relação Velocidade, Abertura e SensibilidadeCom legendas laterais:Sem legendas laterais:Triângulo ISO, Velocidade e Abertura:Para imprimir:Sem texto lateralURL direto: https://docs.google.com/document/d/1 ...
    Publicado a 27/10/2017, 04:59 por Luis Pitta -org-
  • ComboPhotos: Montagens fotográficas simples com somente 2 imagens Entrevista da CNN: Publicada a 04/08/2015His striking pictures combine two everyday objects in a unique way. Kristie Lu Stout speaks to Stephen McMennamy about his special "combophotos ...
    Publicado a 10/10/2016, 15:23 por Luis Pitta -org-
  • Photography Tutorials & Tips: Geoff Flawrence (EN) Bons tutoriais e vídeos:www.geofflawrence.com
    Publicado a 12/06/2015, 17:24 por Luis Pitta -org-
  • Truques fotográficos por Evan Sharboneau Do criador do site photoextremist.comUm conjunto de ideias para criar truques e efeitos especiais em fotografia: www.trickphotographybook.comOs ficheiros apresentados nesta pasta DRIVE são de acesso ...
    Publicado a 13/06/2015, 13:41 por Luis Pitta -org-
  • Luz artificial: A arte da iluminação Um excelente blog que ensina a arte de iluminar:http://strobist.blogspot.pt/
    Publicado a 12/06/2015, 12:08 por Luis Pitta -org-
  • Sunny 16: Regra prática A regra Sunny 16:Num dia de sol devemos fotografar a f/16 com uma velocidade igual a "1 / sensibilidade do filme"Por exemplo:
    Publicado a 03/11/2017, 03:10 por Luis Pitta -org-
A mostrar mensagens 1 - 20 de 39. Ver mais »

Canon EOS: tutoriais

Publicado a 11/11/2018, 08:35 por Luis Pitta -org-   [ atualizado a 11/11/2018, 08:35 ]

As primerias fotografias portuguesas (séc. XIX)

Publicado a 01/06/2018, 09:18 por Luis Pitta -org-   [ atualizado a 01/06/2018, 12:14 ]

Apresentamos as primeiras fotografias portuguesas de sempre


Quando a nova invenção chegou a Portugal, a sociedade oitocentista recebeu-a com curiosidade e entusiasmo. As primeiras imagens alguma vez tiradas mostram-se primeiro em Lisboa e depois no Porto.


Aqui não há selfies. As cores, as poses e as roupas denunciam outro Portugal de outra época, mais concretamente do século XIX.

A primeira fotografia que o mundo conheceu foi tirada em 1826 na região da Borgonha, em França. Anos mais tarde, a nova tecnologia chegou à sociedade oitocentista portuguesa, que a abraçou com curiosidade e entusiasmo. São algumas dessas fotografias iniciais que o Museu do Chiado vai mostrar até 28 de junho, algumas delas nunca mostradas ao público.

Uma das preferências da fotografia que mais impacto teria no final de século XIX e primeiras décadas do século XX foi o do registo e documentação de acontecimentos públicos e privados. As longas exposições, decorrentes de obturadores lentos, bem como de soluções químicas ainda igualmente lentas, impediram, durante as primeiras décadas da sua invenção, que a fotografia se ocupasse dos acontecimentos humanos que incluíam movimento, pode ler-se na página do Museu. Mas desde os anos 60, a fotografia de festividades públicas, acontecimentos sociais públicos e privados, celebrações e acontecimentos políticos é sistematicamente acompanhada por fotógrafos, amadores ou profissionais.

No século XIX, fotógrafos como Cunha Morais, Augusto Bobone, Carlos Relvas, João Camacho, Aurélio da Paz dos Reis, são alguns dos nomes que abordam situações tão diversas como uma tourada, uma caçada em África, a ida à praia, um passeio de D. Carlos e D. Amélia, um almoço de notáveis, os preparativos do casamento de D. Luís ou uma feira no Rossio.

As imagens chegam “dos mais importantes acervos públicos e privados da história da fotografia portuguesa, colocando em diálogo os acervos fotográficos de diversas instituições públicas que têm como missão a salvaguarda do património fotográfico nacional”, pode ler-se na página do Museu.


Excerto da exposição “Tesouros da Fotografia Portuguesa do século XIX” (Museu de Arte Contemporânea do Chiado, em Lisboa):














Composição regras herdadas da pintura

Publicado a 14/12/2017, 09:40 por Luis Pitta -org-   [ atualizado a 14/12/2017, 09:41 ]


Elementos utilizados na pintura:






f/stop: Explicação matemática - Escala - Como memorizar

Publicado a 26/11/2017, 03:42 por Luis Pitta -org-   [ atualizado a 14/03/2018, 08:27 ]


Explicação matemática do f/stop: en.wikipedia.org/wiki/F-number

Progressão geométrica de razão raiz de 2:

f/1 = {\displaystyle {f/}({\sqrt {2}})^{0}}{f/}({\sqrt {2}})^{0}f/1.4 = {\displaystyle {f/}({\sqrt {2}})^{1}}{f/}({\sqrt {2}})^{1}f/2 = {\displaystyle {f/}({\sqrt {2}})^{2}}{f/}({\sqrt {2}})^{2}f/2.8 = {\displaystyle {f/}({\sqrt {2}})^{3}}{f/}({\sqrt {2}})^{3} ...

Escala de metades de f-stop:

AV−1−0.500.511.522.533.544.555.566.577.588.599.51010.51111.51212.51313.514
N0.70.81.01.21.41.722.42.83.344.85.66.789.511131619222732384554647690107128

Escala de terços de f-stop:

AV−1−0.7−0.300.30.711.31.722.32.733.33.744.34.755.35.766.36.777.37.788.38.799.39.71010.310.71111.311.71212.312.713
N0.70.80.91.01.11.21.41.61.822.22.52.83.23.544.55.05.66.37.1891011131416182022252932364045515764728090



Como memorizar a escala de f/stops:



Só temos de nos lembrar dos 2 primeiros valores 1 e 1.4, depois é só
duplicar sucessivamente este par de valores e temos a escala completa:

Porque razão o numero f não tem unidade?

Porque é uma relação.

Explicação (EN): 



Composição Fotográfica

Publicado a 22/11/2017, 02:19 por Luis Pitta -org-   [ atualizado a 24/11/2017, 03:23 ]

Conceitos de Composição Fotográfica


1. Composição Monotone e de Contraste

Quando dizemos que a fotografia está composta em monotone, estamos afirmando que há uma predominância do mesmo tom em toda a foto, tendo, portanto, pouco contraste. Já quando dizemos que a composição é de contraste, o conceito é exatamente o oposto, ou seja, as cores das fotos estão bem definidas, com uma diferença notável entre elas.

2. Forma fechada e aberta

Quando a imagem tem um contorno acentuado, dizemos que a sua forma é fechada, e já quando os limites da imagem não são evidentes, dizemos que sua forma é aberta.

3. Foco e Desfoque

Há infinitas profundidades de fazer variações de uma mesma imagem utilizando o recurso do foco. Pode-se controlar tanto o que ficará nítido na imagem, quanto o que ficará em desfoque. Algumas cameras permitem fazer melhor uso deste recurso, por possuírem diversos pontos de foco a serem configurados.

O foco serve, basicamente, para evidenciar algum elemento presente na área enquadrada. Faz isso deixando-o mais nítido, e desfocando os demais, fazendo com que a atenção seja voltada para aquilo que está em foco. O desfoque pode ser utilizado também para suavizar algum traço, enquanto a nitidez faz o inverso, mostrando a dureza da imagem, as linhas, os traços, etc.

Dizemos que o foco é infinito quando a câmera deixa toda a imagem nítida, uniformemente.

4. Estaticidade e Movimento

Dependendo da intenção do fotógrafo, ele pode evidenciar em sua foto o movimento, ou a cena estática. Caso o movimento seja o principal assunto da foto, então vale a pena evidenciá-lo, com uma velocidade do obturador mais baixa isto é possível. Já em outras ocasiões se pretende evidenciar um semblante, uma expressão, um detalhe que a olho nú seria impossível, devido ao movimento da cena. Neste caso, pode-se apostar na estaticidade, ajustar a velocidade do obturador para os valores máximos, e capturar a cena totalmente estagnada: um atleta congelado no ar, um animal, um carro, etc.

5. Ângulo / Perspectiva

Neste caso, o que importa é a câmera fotográfica. Isso mesmo. Dependendo da localização, altura, posição, etc, pode-se capturar uma mesma cena de diferentes ângulos de visão. A câmera pode estar na mesma altura do assunto, abaixo dele, acima dele, mais distante, mais próximo. O que se deve levar em conta é a “impressão” causada por aquela imagem, dependendo do ângulo pelo qual ela foi capturada.

Se a máquina fotografa de baixo para cima, haverá uma impressão de que o assunto é maior, já o contrário, quando a imagem é fotografada de cima para baixo, temos a nítida impressão de que ela é menor. O contexto, contudo, irá influenciar brutalmente nestas impressões. Cabe, mais uma vez, ao fotógrafo, fazer o discernimento de qual será o melhor ângulo a ser utilizado.

Tendo em vista que a fotografia é uma imagem bidimensional, podemos nos utilizar da perspectiva para simular uma terceira dimensão, ou seja, a profundidade dos elementos contidos na imagem. A perspectiva evidencia ou esconde linhas e formas, fazendo com que se criem efeitos de ilusão de ótica na fotografia.

Fotografando um pequeno objeto bem próximo da câmera, ao lado de um grande objeto, porém distante, a imagem pode dar a ilusão de que os dois são do mesmo tamanho. Esta perspectiva pode, contudo, mudar, dependendo do posicionamento do fotógrafo em relação a estes mesmos objetos.

6. Textura

A textura de uma imagem nos dá a ideia do material, da substância, uma sensação táctil. A superfície dos objetos pode ser lisa, grossa, porosa, etc. O que irá influenciar diretamente na textura do objeto é a iluminação. Se a iluminação for mais dura e lateral, ela evidenciará a textura real do objeto, enquanto que, se ela for mais difusa, indireta, e menos intensa, poderá distorcer a textura real, distorcendo-a.

O evidenciamento da textura, bem como sua eliminação são efeitos que podem causar impactos na fotografia, fazendo com que o objeto seja visto de uma outra maneira, diferente da realidade.

É através da textura que podemos reconhecer o material com o qual os elementos da foto são feitos, nos dá a ideia da sensação de tocá-los, bem como nos permite determinar sua forma e aparência.

7. Alterações Ópticas

Estas alterações, muitas vezes aberrantes, causam um grande impacto na fotografia, mas devem ser utilizadas com uma boa elaboração. Podem causar impressões bem marcantes, tanto as distorções na forma da imagem quanto as alterações nas cores e tons. Elas podem criar um clima irreal ou surreal para a imagem, dar uma impressão de sonho, enfim, modificar a realidade. Esta mudança, para ser bem executada, deve ser intencionalmente provocada pelo fotógrafo, para conseguir passar através de sua foto determinada emoção ou sensação que não passaria se não se utilizasse destes recursos.

8. Iluminação

Como a fotografia é a captação da luz, este talvez seja o maior recurso que um fotógrafo possui. A utilização ou não do flash, a mudança na temperatura da luz, a evidência nas sombras, nos contornos, a luz mais difusa ou mais dura, enfim, são inúmeras possibilidades que podem ser experimentadas para melhorar a composição da fotografia. Vale a pena fazer um estudo bem aprofundado a respeito do assunto para poder utilizar estes recursos com todo o potencial que eles fornecem.


Retirado e http://www.girafamania.com.br/montagem/fotografia-composi.htm em 20/0ut/2011



Outras leituras:



Apontamentos em PDF:


Histograma

Publicado a 30/10/2017, 02:57 por Luis Pitta -org-   [ atualizado a 03/11/2017, 03:22 ]


O Histograma de uma fotografia

[BR] Analise de histograma:


[BR] Explicação dos 3 tipos de Histograma:





Velocidade de obturação

Publicado a 27/10/2017, 03:48 por Luis Pitta -org-   [ atualizado a 26/11/2017, 04:25 ]



A velocidade de obturação mede-se em 1/seg.

As cameras fotográficas clássicas apresentavam uma escala simples (coluna 1), no entanto com a eletronica as camaras digitais conseguem fazer valores intermedios de meios ou terços de velocidade:


Algumas velocidades de referencia









DoF: Depth Of Field

Publicado a 25/10/2017, 01:36 por Luis Pitta -org-   [ atualizado a 06/12/2017, 02:18 ]


[EN] DoF: Depth of Field
[PT] PdC: Profundidade de Campo


Um bom exemplo de uma DOF seletiva com três planos de focagem bem definidos
Primeiro plano desfocado, segundo plano focado e plano de fundo desfocado de novo.

Os principais metadados (EXIF) desta fotografia são:

Canon EOS 7D
f/1.81/300050 mmISO 400





25/out/2016
terça, 14:02



IMG_6363.JPG
8 MP3456 × 2304865.1 KB




Editores de metadados:





Um bom exemplo de uma DOF seletiva com três planos de focagem bem definidos
Primeiro plano desfocado, segundo plano focado e terceiro plano desfocado de novo.


Os metadados EXIF desta fotografia:

Canon EOS 7D
f/1.81/300050 mmISO 400





25/out/2016
terça, 14:02



IMG_6363.JPG
8 MP3456 × 2304865.1 KB







Ficheiros RAW: O que são?

Publicado a 28/11/2016, 08:10 por Luis Pitta -org-   [ atualizado a 19/11/2018, 14:07 ]

ficheiro RAW é um dos formatos de imagem que mais cria discussão e alguma confusão na fotografia.
Há quem diga que é uma perda de tempo fotografar em RAW, outros fazem grandes elogios às vantagens deste tipo de ficheiro.

RAW não é um formato único, cada fabricante de máquinas fotográficas tem o seu próprio formato RAW e cada um utiliza os seus algoritmos especificos.
Por exemplo, a Canon codifica o ficheiro RAW com a extensão .crw ou .cr2, enquanto que a Nikon aplica uma codificação diferente refletindo-se na extensão que costuma ser .nef ou .nrw

Os formatos RAW mais utilizados são das seguintes marcas: 

Canon: CR2 e CRW
Nikon: NEF
Fuji: 
RAF
Adobe: DNG
Olympus: ORF
Sony: ARW

Vantagens

formato RAW da fotografia digital é o equivalente a um filme negativo na fotografia analógica. 
Este captura a imagem sem modificação e faz uma representação sequencial dos pixeis. 
A sua grande capacidade de obter melhor definição, flexibilidade e maior número de tons,
quase que nos convence a configurar a nossa câmara fotografica para gravar as fotografias em ficheiros
RAW
Algumas máquinas fotográficas armazenam os ficheiros RAW com um maior detalhe que o comum ficheiro RGB, ou seja, com 30 ou mais bits,
em vez dos normais 24 bit (8+8+8 bit por cor primária). Isto vai permitir uma maior liberdade na manipulação posterior.

Desvantagens

Os ficheiros RAW são sempre muito maiores do que os seus equivalentes em JPEG e em algumas câmaras a gravação do ficheiro RAW pode tornar-se lenta. 
Por outro lado este tipo de ficheiro consome mais tempo na pós produção, para alem de necessitar de aplicações especificas como o caso do Filtro "Camera Raw" (disponível no menu Filter do Photoshop).


+info na wikipedia: pt.wikipedia.org/wiki/Raw_(formato_de_imagem)



Aplicação gratuita da Canon para abrir e manipular ficheiros RAW
Digital Photo Professional 4.5


A Canon disponibiliza, gratuitamente (usar este numero de serie: 0230100196), esta aplicação avançada para manipulação de fotografias em formato RAW:
cpn.canon-europe.com/content/product/canon_software/inside_dpp_4_0_software.do

Também disponível nesta pasta do DRIVE escolar: 



Understanding What is stored in a Canon RAW .CR2 file, How and Why




Some examples of raw image formats include Canon's CR2 and CRW, Adobe's DNG, Nikon's NEF, Olympus' ORF, Sony's ARW, and Fuji's RAF file formats.

There are many others. Camera raw files allow an editor to make all the changes to the photo because there hasn't been any modifications already made to it. 

Processed photos generally end up with a TIFF or JPG file extension.

A RAW file may also be a Raw Audio Data format file, in which case the same uncompressed, unprocessed concept applies.

Other files with the RAW extension may instead be Wii or GameCube Emulator Game Save format files.



1-10 of 39