Imagem

Modelos de cor

Publicado a 08/03/2019, 00:22 por Luis Pitta -org-   [ atualizado a 08/03/2019, 00:32 ]

Fotografias de paisagens em alta resolução

Publicado a 13/04/2018, 13:48 por Luis Pitta -org-   [ atualizado a 11/11/2018, 08:39 ]

Podes utilizá-las como papeis de parede do Windows ou Macs

Wallpapers / Walpaper
Papel de parede / Papeis de parede

Arte: Historia

Publicado a 23/12/2017, 06:20 por Luis Pitta -org-   [ atualizado a 23/12/2017, 06:28 ]


O conhecimento da História da Arte é essencial para o enriquecimento cultural dos indivíduos. Para uma formação na área visual, e em Fotografia, o contacto, a fruição e análise das manifestações artísticas passadas é, efetivamente, muito importante.

Na disciplina de OMB haverá momentos onde vai haver espaço para ver arte e ler sobre arte, só assim se estimula o debate e a reflexão críticas.

Historia da Arte, E.H. Gombrich



E.H. Gombrich nasceu em Viena, em 1909, e faleceu no dia 3 de Novembro de 2001, em Londres. Autor do clássico internacional «A História da Arte» e de outros «bestseller», foi talvez o historiador de arte mais conhecido do seu tempo.

Em 1936 foi trabalhar para Londres a convite do Instituto Warburg, de que mais tarde se tornou director. Também trabalhou para a BBC e foi professor de História da Tradição Clássica na Universidade de Londres.

Entre muitas honras com que foi agraciado, estão o Prémio Erasmo, o Prémio Hegel, o Prémio Wittgenstein e o Prémio Goethe. Em 1972 foi armado cavaleiro e, em 1998, recebeu a Ordem de Mérito da Grã-Bretanha.


Resenha de "A História da Arte" de Ernst Gombrich

Vale a pena ouvir: https://youtu.be/00PE6hiCoIc

Regra dos terços

Publicado a 03/11/2017, 04:37 por Luis Pitta -org-   [ atualizado a 03/11/2017, 04:48 ]


Regra dos terços

Um dos mais importantes e mais conhecidos princípios da composição fotográfica, a regra dos terços tem como principal objectivo contribuir para a captação de uma imagem visualmente equilibrada e interessante. Se ainda não aprendeu esta regra básica da fotografia, está na altura.

O que é?

A regra dos terços é um exercício visual onde o fotógrafo olha pelo visor ou ecrã para o cenário que quer fotografar e divide-o, mentalmente, em três terços verticais e horizontais para obter um total de nove quadrados. Graças a esta grelha virtual, as quatro esquinas do quadrado central revelam quatro pontos de interesse da imagem, ou seja, serão nestas zonas que deve posicionar os elementos mais atraentes a fotografar. Em adição, as quatro linhas que formam esta grelha (2 horizontais, 2 verticais) são uma espécie de local de repouso para aquilo que quer focar e é sobre as próprias linhas ou então nos pontos onde cruzam que deve compor e enquadrar a fotografia.


Como funciona?

Muitos estudos fotográficos chegaram à conclusão que quem observa uma imagem olha mais depressa para um dos pontos de cruzamento do que para o centro da fotografia. A aplicação da regra dos terços não é mais do que evitar simplesmente centrar o elemento a fotografar, e posicioná-lo 1/3 acima do fundo e 1/3 à esquerda ou então 1/3 abaixo do topo e 1/3 à direita e assim sucessivamente. No caso de pessoas e objectos procure posicioná-los numa das quatro intersecções da grelha; no caso de paisagens, posicione-as no topo ou no fundo da grelha. O resultado é uma imagem mais natural, contrabalançada e atractiva ao olhar.


Praticar para alcançar

Não há nada como praticar para alcançar e, no caso da regra dos terços, importa analisar, em primeiro lugar, muitas fotografias que foram tiradas segundo este princípio, para depois passar à prática. Tão fundamental como a visualização da grelha em si, é saber, em primeiro lugar, quais os pontos de interesse do cenário que pretende fotografar; e, em segundo lugar, conseguir posicioná-los sobre a grelha de forma intencional. A velha máxima “as regras foram feitas para serem quebradas” também se aplica aqui: uma vez que a fotografia é uma forma de arte e de expressão criativa, depois de aperfeiçoada a técnica, faça questão de fugir à regra… dos terços e experimentar outras composições.







As regras são feitas para serem seguidas. E quebradas!
Procure exemplos de "boas" fotografias que não respeitaram a regra dos terços.



RGB

Publicado a 03/11/2017, 03:30 por Luis Pitta -org-   [ atualizado a 03/11/2017, 03:35 ]

RGB (Cores-luz)

O RGB divide as cores que formam o pixel de uma dada imagem em três: Red (vermelho), Green (verde) e Blue (azul) – daí a sigla.

Cada pixel tem uma quantidade de luz nas cores vermelha, verde e azul para obter a cor que surge no ecrã da câmara fotografica, do computador, da televisão ou de qualquer dispositivo cuja cor seja formada por luz.

O sistema de cores RGB  é aditivo, ou seja, as luzes são somadas para formarem novas cores.

A soma de todas as cores neste sistema aditivo é o branco, sendo o preto a ausência de cores. Porquê? Se iluminarmos uma parede com as luzes vermelha, verde e azul em simultâneo vamos obter a cor branca. Se a parede não tiver luz nenhuma, qual será a sua cor? Preta.




Resampling e Resizing

Publicado a 06/10/2017, 03:29 por Luis Pitta -org-   [ atualizado a 06/10/2017, 03:37 ]



Resizing




Resampling




72 dpi porquê?

Seventy-two is a magic number in printing and typography. In 1737 Pierre Fournier used units called ciceros to measure type. Six ciceros were 0.998 inches.

Around 1770, François-Ambroise Didot used slightly larger ciceros to fit the standard French “foot.” Didot’s pica was 0.1776 inches long and divided evenly into 12 increments. Today we call them points.

In 1886, the American Point System established a “pica” as being 0.166 inches. Six of these are 0.996 inches.

None of the units ever strayed far from 12 points per pica: 6 picas per inch = 72 points per inch. It was an important standard by 1984, when Apple prepared to introduce the first Macintosh computer. The Mac’s interface was designed to help people relate the computer to the physical world. Software engineers used the metaphor of a desk to describe the arcane workings of a computer, right down to “paper,” “folder” and “trash” icons.

Each pixel on the original Mac’s 9-inch (diagonal) and 512 x 342 pixel screen measured exactly 1 x 1 point. Hold a ruler to the glass, and you’d see that 72 pixels would actually fill 1 inch. This way, if you printed an image or piece of text and held it next to the screen, both the image and hard copy would be the same size.

But early digital pictures were clunky and jagged. As screen technology and memory improved, computers were able to display more pixels on the same size monitor. Matching a print-out to the screen became even less certain when raster and vector apps allowed users to zoom in and examine pixels closely. By the mid-1990s, Microsoft Windows could switch between 72 and 96 pixels per inch on screen. This made smaller font sizes more legible because more pixels were available per point size.

Today, designers and clients alike understand that the sizes of items on the screen are not absolute. Differences in screen size and zoom functionality are commonplace. But 72 is still the default.




As figuras impossiveis de M. C. Escher

Publicado a 18/05/2015, 04:35 por Luis Pitta -org-   [ atualizado a 18/05/2015, 04:42 ]

Sobre a Cor (33 diapositivos)

Publicado a 05/05/2015, 03:01 por Luis Pitta -org-   [ atualizado a 03/11/2017, 03:36 ]



Formatos de imagem: JPG, GIF, PNG, etc.

Publicado a 20/10/2014, 02:42 por Luis Pitta -org-   [ atualizado a 14/01/2019, 02:55 ]


Principais formatos de imagem pixelizada
Formatos de imagem pixelizada (ou raster)CaracterísticasVantagensDesvantagensMais informação
BMP
Bitmap
Nº máximo de cores: Até 16 milhões de cores (24 bit)

Compressão: Não tem perda de informação: Não aplicável.
Transparência: Não.
Não tem perda de informação.Por não ter compressão os ficheiros resultantes são sempre (muito) grandes.

Mesmo que a imagem não tenha 16 milhões de cores cada pixel ocupa sempre 24 bit (3 Byte)

Ver wikipedia

TIFF (G3 ou LZW*)
Tag Image File Format
Nº máximo de cores: Até 16 milhões de cores (24 bit)

Compressão: Tem.
Perda de informação: Não
Transparência: Não.
Eleito pelos  profissionais da área. Muito versátil.

 

 

Ver wikipedia

JPG (ou JPEG)
Joint Photographic Experts Group
Nº de cores: Sempre 16 milhões de cores (mesmo que a imagem tenha menos cor) (24 bit)

Compressão: Sim.
Perda de informação: Sim
Transparência: Não.
Armazena sempre informação referente a 16 milhões de cores.

Algoritmo de compressão muito eficaz.
Indicado para fotografias e imagens foto-realistas.
Como o algoritmo de compressão tem perda de informação, cada vez que fazemos Guardar o ficheiro volta a perder informação. Não indicado para esquemas e gráficos de barras (por exemplo) porque o algoritmo não está optimizado para transições abruptas de cor.

Ver wikipedia


GIF

Graphics Interchange Format
 
Nº de cores: Até 256 cores (8 bit)

Compressão: Sim.
Perda de informação: Não
Transparência: Sim.
Tem compressão sem perda de informação. Indicado para esquemas, gráficos de barras, etc.

Permite criar animação GIF animado.
Só permite um armazenamento máximo de 256 cores. Não indicado para fotografias, nem imagens foto-realistas (que tenham muitas cores). 

Ver wikipedia

PNG
Portable Network Graphics
Nº de cores: Até 16 milhões de cores (24 bit)

Compressão: Sim.
Perda de informação: Não
Transparência: Sim.
Algoritmo optimizado quando comparado com o GIF, logo um bom substituto para o GIF e para a maioria dos TIFF e pode ser utilizado para criar copias de segurança de imagens fotográficas embora produza ficheiros maiores.Ainda é pouco conhecido. É um bom substituto para GIFs, mas não é para JPGs.

Ver wikipedia

(*) LZW quer dizer Lempel-Ziv-Welch, o nome dos investigadores israelitas Abraham Lempel e Jacob Zif que inventaram o formato inicial. O W de Welch refere-se  a Terry Welch que patenteou a técnica de compressão que hoje é conhecida por LZW.

Exemplo:
Para um ficheiro de exemplo com a dimensão 1943x1702 pixel com de 9.9 MB e 16 milhões de cores (24 bit):

Formato do ficheiroTamanho do ficheiroObservações
TIFF9.9 MBSem compressão
TIFF LZW8.4 MBCom compressão LZW
PNG6.5 MBCom compressão PNG
JPG1.0 MBMuito pequeno. Ideal para colocar em paginas de Internet e enviar por e-mail.
BMP9.9 MBIgual ao TIFF sem compressão.


Lista alfabética de alguns dos formatos de imagens mais populares

BMP
 Usado frequentemente em computadores com plataforma PC em ambientes DOS e MS/Windows. 
 Permite a escolha entre profundidades de 1 bit até 24 bits por pixel.

GIF
 CompuServe® Graphics Interchange Format 
 Usado vulgarmente na troca de documentos entre sistemas informáticos através de linhas telefónicas. É um formato de compressão concebido de forma a minimizar o tempo de transferência. É utilizado em ficheiros grayscale ou indexed color. 
 Permite de 1 a 8 bits por pixel.

EPS
 Encapsulated PostScript 
 É suportado pela maior parte dos programas de ilustração e de paginação electrónica; em muitos casos é o formato preferido para estas aplicações. É o único formato que permite brancos transparentes no modo Bitmap.

JPEG
 Joint Photgraphic Experts Group 
 Formato de compressão que economiza espaço na forma como armazena e liberta (anula) informação desnecessária na utilização da imagem. Uma vez comprimida e posteriormente descomprimida, a imagem não será já igual à imagem original. Na maioria dos casos, as diferenças entre a imagem original e a comprimida através da opção Excellente JPEG  são impossíveis de distinguir. 
 Existe um compromisso entre a qualidade de uma imagem e a sua compressão. Uma imagem gravada no modo Excellente JPEG é sujeita a uma menor compressão, ocupando no entanto mais espaço em disco. 
 Geralmente, as imagens comprimidas no modo anteriormente referido apresentam níveis de compressão na ordem dos 5:1 e 15:1. 
 As imagens JPEG são automaticamente descomprimidas quando são abertas.

PCX
 É um formato originalmente concebido para o programa de PC Paintbrush e é vulgarmente usado em compatíveis IBM-PC.

PICT
 É largamente usado em ambientes gráficos Macintosh e aplicações de paginação como um ficheiro intermediário na transferência de documentos entre aplicações. É especialmente eficaz na compressão de imagens que contêm grandes áreas contínuas de cor.

TIFF
 Tagged-Image File Format 
 Utilizado na troca de documentos entre aplicações e entre os Macintoshes e o Windows. O formato TIFF suporta a compressão LZW. LZW é a mesma compressão usada no formato GIF; no entanto, ao contrário do GIF, suporta outros tipos de imagem para além dos indexed color. Quando se grava uma imagem no formato TIFF, pode-se escolher um formato destinado a um Macintosh ou a um PC compatível. Pode-se ainda escolher "comprimir automaticamente o documento para um tamanho menor" usando a opçãoLZW Compression.


Para os tempos livres:



Imagens com imaginação (Terry Border)

Publicado a 30/04/2014, 05:26 por Luis Pitta   [ atualizado a 16/01/2019, 04:47 por Luis Pitta -org- ]



O ilustrador Terry Border já editou 2 livros com fotografias 
dos seus trabalhos feitos com objectos do dia-a-dia: terryborder.com


O Professor agrupou algumas fotografias dos seus trabalhos para apresentar aos alunos:

 

O seu blog tem as suas últimas criações: bentobjects.blogspot.pt


1-10 of 15