Sobre o autor

O meu nome é José Sequeira e sou do 12º2ª. Sou um rapaz de 17 anos que vive em Benfica e que gosta de saltar quando não comeu de mais. Esta era, portanto, uma proposta de trabalho interessante para mim.

O porquê do título

Não é óbvio? Um eu gigante em posição fetal a cair do céu em cima duma cidade não vos grita a palavra bomba?

O porquê da imagem de fundo

Bem, eu precisava de um sítio que fizesse sentido eu cair como se estivesse a fazer uma bomba, e também precisava de uma imagem que tivesse sol para dar um propósito às sombras que tinha no corpo.

Memória Descritiva

No final do 1º período,  o professor disse-nos que íamos fazer um trabalho de Jumpology. Nenhum de nós fazia ideia do significado de Jumpology, mas rapidamente fomos informados que Jumpology foi o nome que um fotógrafo dos anos 50, Philippe Halsman, deu a uma série de fotos que tirou de pessoas famosas a saltar. Neste trabalho iríamos fazer o mesmo, mas com mais edição, menos pessoas famosas e mais alunos do secundário.
O essencial do trabalho seria tirarmos fotografias a nós mesmos a saltar, retirar o fundo dessas fotografias e colarmos a nossa imagem num fundo diferente. E foi exatamente por aí que começámos, pelo primeiro passo, quero dizer.
Primeiro fizémos uma sessão fotográfica em turma, e tirámos todos fotografias uns aos outros a saltar. Houve boas fotografias que usámos e editámos depois (eu pelo menos usei), mas provavelmente precisaríamos de mais. Eu e uma colega minha não tínhamos uma câmara boa para esse tipo de fotografia, por isso tivémos de pedir ao professor que nos emprestasse uma. Com uma câmara boa na mão, fomos então tirar mais fotografias ao ar livre, em cima do bloco C, e aí sim, tirámos umas boas.
Depois de ter as fotos tiradas, procedi então à seleção das 3 melhores. Nestas 3 tive então de me selecionar e recortar da imagem, guardando-me depois à parte. Num site que o professor nos forneceu, estive à procura e escolhi uns fundos que se adequassem às fotos, sendo que a parte a seguir ia ser das mais fáceis: colocar o recorte que fizémos em cima do fundo, fazer umas pequenas alterações no brilho e contraste e estava feito. Mas eu tive um problema. A minha foto principal (a exposta) tinha sombras projetadas em mim próprio, que não iam nada bem com o fundo noturno que tinha escolhido para ela. Após muitos esforços em vão para retirar referidas sombras, estava já desesperado, mas depois alguém me deu uma ideia. Que tal usar as sombras que estava a tentar eliminar para fazer uma foto melhor? E assim fiz, escolhi um novo fundo com sol, para dar sentido à sombra que se projetava no meu corpo. Aproveitei e até usei a sombra projetada no chão da foto original e metia-a também na foto final, de modo a parecer um gigante a cair do céu. Com isto tudo feito, pude finalmente dizer que tinha o trabalho acabado. Podem ver se quiserem...